BELO HORIZONTE, SANTA LUZIA, NOVA LIMA, SABARÁ, BETIM, CONTAGEM, IGARAPÉ, ITAÚNA, DIVINÓPOLIS, ITAGUARA, SETE LAGOAS, PARÁ DE MINAS, ESMERALDAS, MOEDA, BRUMADINHO / MINAS GERAIS

As árvores localizadas nas calçadas, nas praças, nas empresas, nos parques urbanos, em condomínios e em residências desenvolvem um papel ecológico importante para o meio urbano. Proporciona através dos serviços ambientais consideravelmente uma melhor qualidade de vida para as pessoas.

Em outras épocas, as árvores não eram contempladas nos projetos paisagísticos urbanos. Diante dos aparelhos urbanos (cabos, prédios, postes, calçadas, galpões, casas etc.) há pouco espaço para o plantio de árvores.

O plantio de árvores é uma importante e efetiva ferramenta de contribuição de melhoria do microclima dos centros urbanos. Alguns benefícios trazidos pela arborização, tais como: diminuição dos ruídos, absorção de gases, absorção de água da chuva, redução do escoamento superficial de águas de chuva e posterior diminuição das enchentes, harmonia visual, auxilio ao combate de doenças respiratórias, quebra da monotonia da paisagem urbana, valoração econômica de imóveis, dentre outros. Fazem com que a arborização urbana tenha sua importância nas diretrizes da gestão pública e privada.

A arborização urbana aponta também seus problemas, muitas das vezes por falta de um planejamento de implantação adequado e um acompanhamento das árvores. Estas ações requerem da gestão pública e privada atuações para que sejam evitados alguns problemas como, por exemplo: conflitos com os aparelhos urbanos.

Neste contexto, um dos mecanismos mais importantes para o convívio com as árvores urbanas é o manejo ambiental. Existem várias formas de realizar o manejo da arborização, vai depender em que fase se encontra a arborização, fase de plantio, de condução das mudas plantadas ou da arborização já consolidada. Estas fases são interessantes distingui-las para prover de um bom planejamento no que tange ao manejo ambiental de árvores urbanas.

Outro fator importante é a análise fitossanitária, estudo importante capaz de proporcionar mais segurança diante ao perigo que nos ronda em função de um risco qualquer que uma árvore possa ofertar.  “Para persistir e sobreviver em qualquer ambiente, uma árvore deve ser mecanicamente confiável e possuir razoável fator da segurança. Problemas no tronco atribuem sérios riscos de queda em árvores maduras e potencializam a ocorrência de acidentes” (NICKLAS, et al 2002).

Atualmente existem inúmeras técnicas de avaliação fitossanitária de um espécime arbóreo. O que difere de qual técnica a ser aplicada será o objetivo para que esta análise seja empregada.

As técnicas vão desde uma simples observação das árvores em que se constatam danos estruturais. Ou o uso de equipamentos que trazem informações mais detalhadas, realizadas por profissionais capacitados e experientes.

A LICENCIAR AMBIENTAL, conta com especialistas em ARBORIZAÇÃO URBANA, ECOLOGIA BIOLOGIA E GESTÃO AMBIENTAL, para realizar estudos voltados para a análise fitossanitária das árvores, identificação florística, manejo arbóreo, projetos de arborização, educação ambiental e outros serviços ligados a grande área da flora.

Entre em contato e saiba mais!

REFERENCIA:

NIKLAS, K.J. Wind, size and tree safety. Journal of Arboriculture, v.28, n2, p.84-93, Mar. 2002.

Acesse o texto em PDF, clique no link: ANÁLISE FITOSSANITÁRIA

Autora: SOUSA, A.J.M – Bióloga Licenciada e Bacharela em Gestão Ambiental, Especialista em Avaliação de Impactos Ambientais e Recuperação de Áreas Degradadas na empresa Licenciar Consultoria Ambiental Ltda, julho de 2016.

Deixe uma comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *