Uma nova tecnologia de fabricação de nanotubos de carbono, que aumenta a resistência de metais, borracha e outros elementos estruturais em 70%, promete diminuir o uso desses materiais na fabricação sobretudo de eletrônicos e ajudará a reduzir as emissões de dióxido de carbono na Rússia em 160 a 180 milhões de toneladas até 2030.

“Os nanotubos não criam apenas um efeito positivo indireto na eletrônica e indústria, levando à redução das emissões de CO2”, explica Albert Nassibulin, professor do Instituto de Ciência e Tecnologia de Skôlkovo e especialista na área dos nanomateriais. “É possível a conversão direta do CO2 em nanotubos de carbono”, acrescenta.

A expectativa é que os nanotubos, atualmente usados no revestimento de aeronaves, chips e displays finos, sejam também aplicados no futuro na produção de uma nova geração de painéis solares, assim como em dispositivos de armazenamento de energia.

Leia a matéria completa…Aqui!

Fonte: Gasseta Russa. Disponível em: <http://gazetarussa.com.br/ciencia/2016/01/12/7-de-janeiro-nanotubos_553993>. Acessado em 13 de janeiro de 2016.

Deixe uma comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *