A arborização urbana é constituída pelos maciços “verdes” alocados nos espaços livres dos centros urbanos. Desde então uma árvore no meio urbano traz vários benefícios aos usuários e moradores das cidades. Não podemos deixar de mencionar a interface dos problemas que as árvores podem causar pela queda, desprendimento de galhos, pelas raízes expostas, sejam eles ocasionadas pela falta de manejo ou por fenômenos naturais.

No entanto os benefícios das árvores (sociais, públicos, ambientais, à saúde humana, retenção de água de chuva por suas copas, alteração no microclima e econômicos, dentre outros) sobrepõem aos problemas que podem ser trazidos pelas árvores.

A administração pública detém da maior responsabilidade sobre a arborização urbana. É ela que fica responsável por gerenciar toda a atividade de manejo e fiscalização.  Existe um esforço grande dos gestores públicos para manter árvores, usuários e aparelhos urbanos em harmonia. No entanto há uma gama de problemas de gestão para fazer dar certo à arborização e convívio social. Alguns problemas são: centralização de recursos nos setores públicos, poucas empresas e poucos profissionais capacitados para gerenciar arborização urbana.

Acredita-se que se podemos fazer algo em prol de um meio ambiente mais equilibrado nos centros urbanos é através do plantio de árvores nos espaços público e privado. As populações urbanas ganharão muitos benefícios. Talvez o mais importante seja alteração do microclima, tornando o meio com temperaturas mais baixas e com uma paisagem mais harmoniosa e tranquila.

Realizar o manejo adequado é muito importante para as populações das cidades, portanto capacitar, treinar é dever de todos que desejam atuar na arborização urbana.

A Licenciar Consultoria Ambiental possui em sua equipe profissionais capazes de elaborar projetos de arborização, manejo da arborização por meio de plantios, podas e cortes e análises fitossanitárias de árvores e análises de risco de queda de árvores.

Bibliografia Consultada

NAPIAS, R. I. A; PELLEGRINO, M. R. P. TAVARES, R. As árvores e suas interfaces no ambiente urbano. REVSBAU, Piracicaba – SP, v.5, n.1, p.1-24, 2010.

MILANO, M. S. Planejamento da arborização urbana: relações entre áreas verdes e ruas arborizadas. In: Encontro Brasileiro Sobre Arborização Urbana, 4, 1990, Curitiba. Anais… Curitiba: Sociedade Brasileira de Arborização Urbana, 1990. p.244-251.

Betim; Brumadinho; Caeté; Capim Branco; Confins; Contagem; Esmeraldas; Florestal; Ibirité; Igarapé; Itaguara; Itatiaiuçu; Itaúna; Jaboticatubas; Juatuba; Lagoa Santa; Mário Campos; Mateus Leme; Matozinhos; Nova Lima; Nova União; Pedro Leopoldo; Raposos; Ribeirão das Neves; Rio Acima; Rio Manso; Sabará; Santa Luzia; São Joaquim de Bicas; São José da Lapa; Sarzedo; Sete Lagoas; Taquaraçu de Minas; Vespasiano/MINAS GERAIS.

Autor: DINIZ, E.A.C. – aluno do programa de Pós-Graduação em Sustentabilidade e Tecnologia Ambiental do Instituto Federal de Minas Gerais – IFMG, Bacharel em Ecologia, Especialista em Gestão Empresarial na empresa Licenciar Consultoria Ambiental Ltda, janeiro de 2017.

Testo em PDF: Importância das Árvores Urbanas

Deixe uma comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *