Segundo o manual de interpretação da Norma Regulamentadora – NR 35, 2012, a criação de um instrumento normativo não significa contemplar todas as situações existentes na realidade fática. No mundo do trabalho existem realidades complexas e dinâmicas, uma nova Norma Regulamentadora para trabalhos em altura precisaria contemplar a mais variada gama de atividades.  Diante da citação podemos apontar inúmeros trabalhos com atividades em altura acima de 1,80m como queiram.

Hoje estamos aqui para comentar um pouco da atividade PODA e CORTE de ÁRVORES utilizando a “modalidade de escalada”. Essa modalidade pode ser descrita rapidamente ou basicamente na consistência em que o Arborista ou Operador de Motosserra utiliza a própria árvore em que será podada ou suprimida para fazer suas ancoragens, suas elevações e amarrações de galhos e troncos nos quais serão seccionados ou eliminados.

Umas das etapas que vale ressaltar para que essa atividade ocorra com êxito tanto na parte de segurança do Arborista e na qualidade do trabalho a ser executado são os treinamentos teóricos e práticos como determina as normas regulamentadoras NR 35, NR 18 e NR12. Estas são as normas nas quais para quem está submetido ao trabalho em altura e a uso de equipamentos, no nosso caso a motosserra.

A atividade de poda ou corte de árvore é necessário principalmente na área urbana visando sempre à manutenção, à eliminação de riscos a transeuntes, a novas construções ou implantações de aparelhos urbanos. Vale ressaltar que para espécimes localizados em logradouros públicos geralmente essas atividades ficam por conta do poder executivo das cidades.  Dentro dos espaços privados a atividade é realizada por empresas contratadas ou profissionais autônomos.

Muitas das vezes os Arboristas se deparam com normas internas das empresas onde não é permitida a escalada para execução da atividade. Quando isso acontece parece que ocorre uma falta conhecimento técnico suficiente da parte operacional das empresas no que tange a escalada em árvores para efeito de manutenção. Quando tem a possibilidade de utilizar equipamentos como caminhão acoplado de munck (cesto aéreo) ou plataforma, é muito bem vindo uma vez que aumenta a segurança do profissional, embora o custo operacional da atividade fica mais elevado.  O grande problema é quando não tem como utilizar esses equipamentos. Daí começa a grande discussão. Como fazer o serviço com segurança através da escalada?

A ancoragem é uma ação de amarrar ou prender alguma coisa em um determinado ponto fazendo com que esse objeto permaneça estável e seguro. Existem inúmeras formas de fazer ou de se obter uma ancoragem. Em outras palavras sempre é possível fazer trabalhos em altura estando ancorado.

No que tange ao nosso assunto, hoje as ancoragens dos arboristas em árvores são relativamente simples e fácil, uma vez que as árvores possuem pontos naturais de ancoragens, no caso os próprios galhos. E partindo para as situações mais extremas, observamos que para atividade de poda ou corte às vezes as ancoragens ficam restritas. Daí então surge às ancoragens críticas. O que é ancoragem crítica?

Na modalidade de poda ou corte é a ancoragem na qual o operador fixa o talabarte no mesmo galho em que está cortando (neste caso o talabarte estará bem antes do ponto de  corte a ser realizado no galho) ou em um galho abaixo da sua cintura. O importante é sempre observar que o operador deverá utilizar sempre o cinto tipo paraquedista e com no mínimo dois talabartes. Existem várias formas de ancorar em uma árvore vão desde técnicas de rapel, linhas de vidas ou cabos de segurança entre galhos ou árvores. Abaixo algumas figuras ilustrando as ancoragens em árvores.

Figuras 1 e 2 – Ancoragens em Árvores

  fotos jpeg

Contudo fica claro que  para exercer a atividade de poda ou corte de árvores através da escalada é possível desde que haja capacitação, treinamento e planejamento. Deve se ressaltar que o bom profissional não é aquele termina o serviço em menos tempo, e sim aquele que respeita a sua vida os seus parceiros de trabalho e atua diante da técnica correta e segura.

Autor: Edgar Amarante Caldeira Diniz – Ecólogo, Especialista em Gestão Empresarial e Coordenador Administrativo da empresa Licenciar Consultoria Ambiental Ltda, setembro de 2015.

Acesso o Texto em PDF. Escalada em Árvores

Bibliografia Consultada

SBAU. Regras de Escalada em Árvores. Disponível em: <http://www.cbea-sbau.com.br/regras.html> acesso em julho de 2015.

Norma Regulamentadora 35 – Trabalho em Altura. Disponível em: <www.mte.gov.br> acesso em julho de 2015.

 

 

Deixe uma comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *